Acidente de Kobe Bryant aconteceu com neblina acima do padrão

O helicóptero que levava Kobe Bryant e outros oito passageiros no acidente numa encosta no último domingo em Calabasas, na Califórnia, alcançou uma altitude de 701 metros antes de mergulhar em direção ao chão, afirmou um investigador na última segunda-feira.

Jennifer Homendy, do Quadro Nacional de Segurança do Transporte (NTSB, National Transportation Safety Board), disse em entrevista coletiva que o piloto falou aos controladores de tráfego aéreo em sua última mensagem pelo rádio que estava ganhando altitude para evitar uma camada de nuvens. O helicóptero, então, caiu de mais de 304 metros até a encosta.

Os investigadores da NTSB chegaram no local do acidente na última segunda-feira.

“O campo de destroços é bastante extensivo”, disse Homendy.

“Um pedaço da cauda está encosta abaixo”, ela disse. “A fuselagem está do outro lado desse morro. E o rotor principal está cerca de 91 metros para frente disso.”

O piloto foi identificado como Ara Zobayan, de 50 anos, que estava entre os mortos no acidente.

O helicóptero não tinha uma caixa-preta e o dispositivo de gravação não era requerido para esta aeronave, disseram os investigadores da NTSB na tarde da segunda-feira. A NTSB também afirmou que recuperou um tablet que deve ter informações do voo.

Alguns especialistas sugeriram que o piloto deve ter ficado desorientado por causa da neblina. Homendy disse que os times de investigadores iriam olhar tudo, desde a história do piloto até os motores do helicóptero.

“Olhamos o homem, a máquina e o ambiente”, disse ela. “E o tempo atmosférico é só uma pequena parte disso.”

O piloto pediu e conseguiu uma liberação especial para voar em forte neblina minutos antes do acidente e estava a 427 metros quando foi para sul e então para o oeste, disse Homendy.

O helicóptero caiu em Calabasas, cerca de 48km a noroeste do centro de Los Angeles, depois de decolar do Aeroporto John Wayne em Orange County às 9h06 do horário local (14h06 de Brasília). A primeira ligação para a emergência reportando o acidente foi recebida às 9h47 do horário local.

Helicóptero sofisticado

Zobayan, o piloto, estava certificado para conduzir helicópteros comerciais e não tinha histórico de acidentes, incidentes ou sanções com a Administração Federal de Aviação (FAA).

A NTSB mandou um time de investigadores para o local. A agência normalmente faz um relatório preliminar após cerca de 10 dias do acidente e dá um resumo superficial do que os investigadores descobriram. Uma decisão sobre a causa do acidente aéreo pode levar um ano ou mais.

Um banco de dados de registro de aeronaves da FAA mostrou que o helicóptero é um 1991 Sikorsky S-76B, cujo dono é uma companhia chamada Island Express Holding Corp. Ele já foi propriedade do estado de Illinois de acordo com esse banco de dados.

“O S-76 é um helicóptero bem caro, sofisticado… Certamente é um helicóptero de qualidade”, disse Justin Green, um advogado especializado em aviação de Nova York que pilotava helicópteros pela Marinha dos Estados Unidos.

Neblina acima do padrão da polícia

Na manhã de domingo, Colin Storm estava na sala de sua casa em Calabasas quando ouviu o que parecia um avião ou helicóptero voando baixo.

“Estava com muita neblina, então não conseguia ver nada”, disse. “Mas então ouvimos umas falhas e uma explosão”. Storm conseguiu ver a fumaça subindo da encosta em frente à sua casa.

Bombeiros subiram a encosta com equipamentos médicos e mangueiras, a equipe médica foi até o local com um helicóptero, mas não encontrou sobreviventes, disse o chefe dos bombeiros do Los Angeles County Fire, Dayl Osby.

Os bombeiros trabalharam para conter as chamas que se espalharam por cerca de 1.600 m² de arbustos, disse Osby.

O porta-voz do Departamento de Polícia de Los Angeles, Josh Rubenstein, afirmou que a divisão de suporte aéreo do departamento aterrissou seus helicópteros na manhã de domingo devido às condições de neblina e não voou mais até o fim da tarde.

“A situação do tempo não estava nos nossos mínimos padrões para voar”, disse Rubenstein, adicionando que a neblina era “suficiente para não voarmos”.

O mínimo estabelecido pela Polícia de Los Angeles é de 3,2 km de visibilidade e 243 metros de teto para as nuvens, disse o porta-voz. O departamento costuma voar com dois helicópteros quando as condições permitem, um no Vale de San Fernando e outro na bacia de Los Angeles.

28/01/2020

(Visited 1 times, 1 visits today)