Sérgio Noronha, jornalista e comentarista esportivo, morreu aos 87 anos

O jornalista carioca Sérgio Noronha, de 87 anos, morreu nesta sexta-feira 24, no Rio de Janeiro. A notícia de seu falecimento foi confirmada pelo amigo e ex-colega de TV Globo Arnaldo Cezar Coelho, o comentarista sofria de Alzheimer e estava internado há dez dias em um hospital no bairro de Laranjeiras, se recuperando um quadro de pneumonia. “Seu Nonô”, como Arnaldo se referia carinhosamente ao amigo, havia acabado de sair do CTI quando sofreu uma parada cardiorespiratória e não resisitiu.

“A última vez que fui visitá-lo foi há um mês. Mas não quis vê-lo, ele já estava muito fraquinho e debilitado, com a memória muito ruim. Não quis ficar com essa última imagem”, disse Arnaldo a VEJA, por telefone. O juiz da final da Copa do Mundo de 1982 dividiu com a reportagem uma última mensagem de áudio, gravada nesta quinta por um funcionários da clínica. “Arnaldo, meu amigo, venha me visitar”, dizia Noronha com uma voz muito fraca. Indagado pelo enfermeiro se ele gostaria de deixar leito hospitalar e voltar para casa, o jornalista soltou um palavrão: “Vamos, p…”.

O preferido de Galvão – Noronha se notabilizou como comentarista e cronista esportivo, com passagens pelas principais emissoras e veículos de imprensa do país, entre eles o Jornal do Brasil, Diário Carioca e Correio da Manhã. Mas foi na televisão e no rádio onde o jornalista ganhou notoriedade, participando da cobertura de diversas Copas do Mundo entre os anos 70 e 90. Por iniciativa de Galvão Bueno, foi reintegrado ao time de comentaristas da TV Globo em 1999 – cinco anos antes, em entrevista a PLAYBOY, a principal voz esportiva do Brasil considerou Noronha o melhor comentarista de futebol do país – e participou de transmissões televisivas em mais dois mundiais, entre eles o do pentacampeonato da seleção brasileira, em 2002.

Novamente demitido da Globo, em 2009, Noronha foi convidado pelo radialista José Carlos Araújo, o Garotinho, para o time de Esportes da TV Bandeirantes. Em entrevista recente ao portal UOL, Garotinho explicou a situação do colega. “Quando ele foi demitido da TV Globo, arrumei emprego para ele. Falei com o Luciano do Valle e coloquei na Band. Foi o último emprego dele como comentarista, na Bandeirantes aqui no Rio de Janeiro. Foi demitido quando contrataram o Edmundo. Preferiram ex-jogadores”, contou Araújo. “Mas o Noronha foi um profissional muito isento, muito equilibrado, muito imparcial”.

A última participação de Noronha na televisão aconteceu em 2011, quando participou de programas do canal pay per view PFC. Mais recentemente, Sérgio Noronha foi amparado pelos amigos, entre eles o ex-árbitro Arnaldo Cezar Coelho. Doente e com sérios problemas financeiros, o jornalista passou a morar, em 2018, no Retiro dos Artistas, espaço criado e mantido pelo ator Stephan Nercessian e que abriga estrelas do passado da televisão. Foi Arnaldo quem reformou uma casa para Noronha, equipando-a com eletrodomésticos.

25/01/2020

(Visited 1 times, 1 visits today)